Estados Unidos vencem corridas classificatórias no MXoN e Brasil tem dia difícil em Red Bud

 As corridas de classificação da 75ª edição do Monster Energy FIM Motocross of Nations aconteceram hoje a tarde, com as 34 nações que disputam o Chamberlain Trophy este ano, entrando na pista pela primeira vez neste fim de semana aqui em RedBud, Estados Unidos com a cobertura completa do site Show Radical.

As corridas de qualificação de hoje definiram as 19 equipes que vão direto para as corridas de amanhã, enquanto o resto vai lutar pelo último lugar na final B amanhã de manhã. Para as equipes que estão de olho no pódio, as baterias de qualificação foram cruciais para decidir a melhor escolha de gate para a prova principal desse domingo.

Enquanto foram os EUA que se classificaram melhor como nação, as vitórias da corrida de qualificação foram para Jago Geerts da equipe belga (MXGP), Justin Cooper (MX2) da equipe dos EUA e Dylan Ferrandis da equipe França (Open).

Fotos: @tiagoshowradical | #ShowRadical

Na corrida de qualificação para a MXGP, foi Jeremy Seewer, da Equipe Suíça, quem virou na frente na primeira curva, liderando Mitch Evans, da Equipe da Austrália, Glenn Coldenhoff, da Equipe Holandesa, e Jago Geerts, pela Equipe da Bélgica, fazendo sua estreia nas 450cc.

Enquanto isso, Eli Tomac, do time Americano EUA, largou em 10º  mas conseguiu fazer várias ultrapassagens nas primeiras voltas para se aproximar dos cinco primeiros.

Seewer parecia sólido na liderança até virar de frente antes do final da volta de abertura, o que permitiu a Evans assumir o primeiro lugar. Geerts foi o segundo neste momento e empurrando o australiano para a vitória. Evans conseguiu segurar o belga por duas voltas antes de Geerts passar.

Geerts então fez a volta mais rápida da corrida enquanto tentava se libertar do resto do pelotão. Durante todo o tempo, mais abaixo na ordem, Tomac estava pressionando Maxime Renaux, do Team France. O americano precisou de várias tentativas para passar o francês, mas acabou conseguindo e se concentrou em Jorge Prado e Coldenhoff, da equipe espanhola, que estavam logo à frente.

Geerts liderou por 3,121 segundos, enquanto Seewer estava tentando voltar após seu erro no início da corrida. O suíço subiu na roda traseira de Evans antes de passar pelo australiano a 3 minutos e duas voltas do final, com Evans sob mais pressão de Tomac.

A quatro voltas do final da bateria, Tomac conseguiu passar Evans e mirar em Seewer enquanto a dupla lutava intensamente pelas próximas voltas. Erros ocorreram para ambos os pilotos, mas foi Tomac quem saiu por cima depois de passar Seewer na última volta.

Geerts acabou vencendo a corrida à frente de Tomac, Seewer, Evans e Prado, que completaram os cinco primeiros.

Jago Geerts: “Sim, com certeza. Eu não esperava. Esta manhã, eu já estava me sentindo muito bem na pista e gostei do 450, então já estava bom esta manhã. Fiz uma boa largada na manga de qualificação e consegui vencer, por isso estou muito contente com isso. Também nos qualificamos bem com o Team Belgium, então amanhã será divertido. Acho que se tudo correr bem, podemos estar no pódio. Então esse é o objetivo, e tudo faremos para isso”.

Na qualificação para a MX2, Guillem Farres, da equipe espanhola, fez o holeshot à frente de Kay de Wolf, da equipe holandesa, mas ambos foram rapidamente ultrapassados ​​por Justin Cooper, do time dos EUA, que estava em uma missão para entregar um resultado superior na frente da torcida local.

Cooper liderou enquanto Hunter Lawrence, da equipe australiana, ficou em segundo lugar, à frente de Andrea Adamo, da equipe italiana, Hardy Munoz, da equipe chilena, de Wolf, e Marvin Musquin, da equipe francesa.

Valentin Guillod, da equipe Suíça, caiu e não continuou a corrida, o que foi um grande golpe para a equipe.

Na frente do pelotão, Cooper liderou confortavelmente e estava fazendo algumas voltas rápidas enquanto aumentava sua vantagem para 5,917 segundos à frente de Farres. Musquin então ultrapassou Adamo para o quarto lugar, enquanto Lawrence contornou Farres pelo segundo lugar na terceira volta.

Jo Shimoda, do Team Japan, teve uma corrida de qualificação azarada quando caiu no início da bateria, mas conseguiu abaixar a cabeça e voltar ao 12º pela bandeira quadriculada.

Nos momentos finais, De Wolf e Adamo estavam tendo uma boa batalha pelo quinto lugar, mas esta batalha foi interrompida após um problema de roda para de Wolf que o tirou da corrida.

Cooper venceu a bateria confortavelmente à frente de Lawrence, Musquin, Farres e Adamo.

Justin Cooper: “Foi assim também para o meu lugar. Foi bom com os fãs. Honestamente, eu nunca tive tantas pessoas atrás de mim, torcendo por mim durante toda a pista, isso foi outra coisa e eu nunca experimentei isso, então foi como uma adrenalina durante toda a corrida. Eu estava me divertindo muito lá fora e quase desejei que fosse mais longo. Agora só falta trazer a mesma energia amanhã para as corridas e manter essa intensidade”.

A bateria final do dia foi a corrida de classificação da Open que viu Calvin Vlaanderen, da equipe holandesa, fazer o holeshot na frente de Dylan Ferrandis, da equipe francesa, Mattia Guadagnini, da equipe italiana, e Ruben Fernandez, da equipe espanhola. Vários pilotos caíram no início, incluindo Jeremy Van Horebeek, da Team Bélgica.

Chase Sexton, do time dos EUA, largou em quarto, com Jett Lawrence, da equipe australiana, mais abaixo em sexto na primeira volta, enquanto Guadagnini caiu em terceiro.

Lawrence então lutou de perto com Fernandez, que não queria desistir de sua posição facilmente. A dupla teve alguns momentos próximos antes de Lawrence conseguir passar na segunda volta.

A essa altura, Sexton estava em terceiro e de olho em Ferrandis e Vlaanderen à frente. O americano fez alguns bons passes rápidos e foi o novo líder da corrida no final da segunda volta. Ao mesmo tempo, Vlaanderen também foi ultrapassado por Ferrandis e caiu para terceiro.

Sexton imediatamente fez a volta mais rápida da corrida, enquanto tentava se libertar de Ferrandis, enquanto Lawrence passava Vlaanderen em terceiro.

Todos os olhos estavam voltados para os líderes, que lutaram de perto por toda a corrida, mantendo a diferença de pouco menos de dois segundos. Isso foi até que Ferrandis prendeu a perna na roda traseira e teve que parar para tirá-la antes de continuar com o resto da bateria.

Sexton conseguiu se afastar como resultado e parecia que estava a caminho da segunda vitória do dia do Team USA, mas isso foi até que ele caiu na última volta da corrida, o que permitiu que Ferrandis passasse facilmente.

Ferrandis foi o vencedor da corrida de qualificação à frente de Sexton, Lawrence, Fernandez e Vlaanderen.

Dylan Ferrandis: “Foi um momento muito estranho, nunca tinha acontecido comigo antes. Antes do salto final, minha perna foi para a parte de trás da minha moto e ficou presa na roda, então meu joelho ficou completamente preso. Eu tive que parar, empurrar a moto para trás e depois soltar minha perna e ir embora. Não sei por que isso aconteceu, mas esse tipo de coisa sempre acontece no Motocross das Nações… As expectativas para amanhã são muito fáceis, queremos vencer e vamos tentar tudo para vencer. A batalha já começou contra o Team USA e acho que vai ser muito interessante. Vamos dar tudo, como todos, mas acho que temos uma equipa forte para fazer isso”.

Team Brasil tem dia difícil no MXoN

Gabe Gutierres foi o primeiro Brasileiro a ir para o gate pela categoria MX1, Gabe começou bem entre os 20 primeiros e acelerou forte, na medida que a prova foi chegando a metade o desgaste acabou apertando e o piloto perdeu um pouco de rendimento e perdeu algumas posições quando estava por volta do 25º colocado acabou tendo uma quebra na moto e saindo da pista abandonando a corrida de classificação.

Na sequência era a vez de Enzo Lopes ir para o gate da MX2, porém no final dos treinos a moto do piloto também apresentou um problema na biela e por estar sem a estrutura do seu time aqui, vindo apenas com uma moto sem peças de reposição o piloto que tinha feito o 7º tempo nas tomadas de tempo, viu a enorme chance de classificação direto ir por água abaixo, foram momentos frustrantes para todos Brasileiros presentes no evento.

Para fechar o dia Ramyller Alves fez uma excelente largada na Open saindo junto dos 10 primeiros, nas primeiras voltas chegou a ocupar a 8º colocação e inclusive se manteve nos TOP 10 até a metade da prova, porém da metade em diante sua moto perdeu a embreagem e acabou perdendo mais algumas posições finalizando em 19º colocação que se somada a um 10º lugar apenas de Enzo Lopes o Brasil estaria classificado direto para as corridas finais do domingo.

Uma pena para nós Brasileiros, mas ainda resta a última chance de classificação amanha pela final B as 09:45 da manhã para vocês no Brasil, porém apenas Ramyller e Gabe iram largar, Enzo está definitivamente de fora do Nações esse ano uma pena, acompanhem tudo amanhã pelo canal BandSports no Brasil a partir das 14:00h e pela nossa rede social durante todo o dia direto da pista!

Reveja as corridas desse sábado:

A cobertura do site Show Radical no MXoN 2022 em Red Bud nos EUA é um oferecimento das empresas Brasileiras: Mattos Racing, Biker Acessórios, Jarva Racing, KTM Racing, Fokus Fit, 4Win Racing, Quebra Cava, Husqvarna Motorcycles, Borilli Racing, BMP Special Parts, America Sports, IMS Racing, JP Racing, Brasil Racing, Time Line BR, Wide Open e Foco Racing.

Continue arrastando para cima ☝☝☝ para conferir todos os patrocinadores do site Show Radical ?⚡!

– Clicando no anuncio das empresas você é direcionado ao site da marca!